Carta #13 | me encontrando na escrita

Hoje é meu aniversário!

Antes que você pense em responder essa carta me desejando felicidades, eu gostaria de agradecer. São quase mil pessoas nessa lista, que me oferecem um espaço para dividir um pouquinho da forma com que eu percebo esse mundo. Obrigada!

Eu me dei de presente um curso de escrita, fiz a inscrição com o desejo de tornar o processo da escrita mais fluente para mim. Já na primeira aula entendi que eu poderia sair de lá com esse desejo cumprido, mas que a transformação seria muito mais profunda, como o nome do curso diz, eu vou descobrir como me encontrar na escrita.

Não é por acaso que escolhi o texto como forma de expressão, me dou melhor com o que é escrito, as palavras que às vezes não saem pela boca, vem mais fácil na folha em branco. A professora do curso, Ana Holanda, consegue traduzir o ato de escrever em alguns conceitos com os quais eu me identifico muito. Ela disse que a escrita afetiva cria diálogo em meio a tantos monólogos.

E não foi exatamente por esse motivo que criei essa newsletter? Para conseguir ter conversas verdadeiras, daquelas que não acontecem dentro das redes sociais? Estou com o coração cheio para seguir com esse propósito! Vem comigo?

Agora não me leve a mal, mas gostaria de te pedir um presente. Queria que você compartilhasse uma inspiração, uma referência, alguma coisa que fez o seu olho brilhar hoje. Pode ser um texto, um vídeo, um livro que leu, uma pessoa que conheceu. Não esquece de se apresentar, contar um pouquinho de você nessa resposta, tá?

Se você chegou agora pode ler as cartas passadas nesse endereço aqui. Seja bem-vindo/a/@!